CartaCampinas
Tag Archives: poesia

(foto 12019 cc) .Por Eduardo de Paula Barreto. . A medicina não é profissão É exercício de um chamado Dado em forma de aptidão Para seres privilegiados Que enfrentam longos percursos Mesmo quando sem recursos Decidem cumprir sua missão E...

.Por Alexandre Oliva. Paródia a canção O Bêbado e a Equilibrista de Aldir Blanc e João Bosco. (imagem: gellinger cc) Caía de madrugada o viaduto Um negro gay gritando “luto!” Me lembrou do Mito E Moro tal qual o dono do bordel Se...

. Por Eduardo de Paula Barreto. (imagem: ddouk cc) . Ustra vive Nos corações pequenos Onde escorrem livres Rios de veneno E de desejos sórdidos Vindos dos mórbidos Cérebros psicopatas Em cujos neurônios Cavalgam os demônios Das mentes...

.Por Luís Fernando Praga. Um cisco entrou nos olhos da saudade, Que chora, disfarçada, os dias que viveu, Bem do meu lado, ao lado da amizade; E eu nostalgio cada amigo meu. A turma de uma infância divertida, Da rua, da sarjeta e da escola, De...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Vivo um enorme dilema Eu queria salientar as virtudes De Bolsonaro num poema Por isso peço que me ajude A encontrar num ser tão rude Algo que valha a tinta da pena. . Bolsonaro se uniu a Macedo Para fazer do...

.Por Luís Fernando Praga. • Bem-vinda, resistência! Apesar da tempestade lá fora, o clima tá ótimo aqui no lado certo da História! A rua é do povo! #DitaduraNuncaMais                                          ...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Tenho utilizado a poesia Como arma pacífica Contra o que contraria O meu ideal de política E não luto por mim Mas pelos outros e assim Cumpro o meu chamado Enquanto parte do povo Empunha armas de fogo Eu atiro...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Ainda resta-nos uma chance Nem todo amor foi consumido Haverá novos romances Para o nosso coração ferido Que pulsa triste pelas desilusões Pela descrença nas instituições E por sentir que já foi traído Mas...

.Por Sandro Ari Andrade de Miranda. Clamo por liberdade e pelo direito de ser ouvido, Já fui torturado, tive meu corpo empalado e mesmo assim não silenciei. Clamo por liberdade porque minha voz não encontra limites, está depositada na alma...

Paródia de “O Quereres”, de Caetano Veloso .Por Alexandre Oliva. Onde queres revólver, sou escola Onde queres a bola, sou o pé Onde queres a bota, sou chinelo Onde queres submissa, sou mulher Onde queres família, mãe solteira Onde...