CartaCampinas
Category Archives: Carta DiVersus

.Por Eduardo de Paula Barreto. Da Bastilha fez-se prisão Da liberdade clausura Do afago fez-se tortura E da fé desilusão Mas quando a vilania Sufocava a cidadania Surgiram as hordas santas Que com armas em punho Deixaram o testemunho De...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Na lancheira alimento Na cabeça muito espaço Na mochila instrumentos Para o aprendizado E sobre a carteira repousa O aluno que fita a lousa Em busca de amplo juízo Este é o templo da escola Local onde a santa...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Quem é um no espelho E outro na sociedade Não é inteiro É só uma metade Que em si mesmo Mantém um ser preso E outro livre e infeliz Que protagoniza a dor Sendo nos palcos ator E na intimidade atriz. . Prisioneiro...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Se ao invés de esposa Você a chama de mulher Ela se torna qualquer coisa Uma coisa qualquer Porque mulher sugere posse Como se ela fosse Só para gerar prole Para o marido apaixonado Que não quer ser chamado Vulgarmente...

.Por Luís Fernando Praga. A esperança, cê sabe? Eu não sei se ela existe, e se ela existe, se cabe neste meu cafofo triste, ou neste embornal surrado que eu carrego do lado, onde até pintei meu nome. Nele cabe um céu bordado, cabe um...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Numa nuvem um anjo apareceu Anunciando o fim do Planeta Dizendo que cairiam do céu Milhares de enormes cometas E que tudo isso aconteceria Em menos de cem dias Dizimando a vida na Terra E assim alertou o povo: ‘Amem-se...

Por Eduardo de Paula Barreto . Primeiro me atiraram ovos Depois me atiraram pedras Logo com armas de fogo Me envolveram numa guerra E saciaram o seu ódio Me expondo ao opróbrio Por eu ter ponto de vista E ainda não satisfeitos Jogaram os...

  Por Luís Fernando Praga Ouviram que amar era pecado e amaram pouco, e desistiram cedo. Temeram os que amavam a seu lado e odiaram por sentirem medo. Formaram-se escravos e soldados de odiosos mais oportunistas; num mundo de valores deturpados,...

Por Eduardo de Paula Barreto . Olho pela janela E vejo gente triste Cansada das mazelas Que todo dia assiste Nos suspeitos telejornais Que disfarçam as imorais Medidas de austeridade Que privilegiam as elites Cometendo acintes Contra a sociedade. . De...

Por Luís Fernando Praga É injusta a justiça que condena! E a morte é conviver com tal engano. Gente imperfeita infligindo a pena A quem é, tão somente, ser humano. Hipócritas escolhem os pecados E os juízes, pra punir o mal, Mas...