CartaCampinas
Eduardo de Paula Barreto

Não me contendo com os cinco sentidos, por isso escrevo.

.Por Eduardo de Paula Barreto. Agem com soberba Se sentem superiores Discriminam a pobreza As diferenças e as cores Fazem das mãos Arminhas de ficção Que simulam tiros Mas não podem deter O imenso poder De um minúsculo vírus. . Ignoram...

(imagem yale law library – ccl) .Por Eduardo de Paula Barreto. Os ignorantes e as corporações Pavimentaram os descaminhos Conclamando as multidões Para construírem um ninho E nele botaram um ovo Que logo ficou choco Sob os glúteos...

(foto rodrigo moraes – ccl) .Por Eduardo de Paula Barreto. Vai começar o carnavalTodos põem seus adereçosE buscam o tom idealPara cantar o samba enredoE em cima do carro alegóricoO Presidente estrambólicoVestindo um traje...

(imagem paul schnieder – pl) .Por Eduardo de Paula Barreto. Desponta mais um final de anoÉ hora de semear planosPara o novo tempo que se anunciaE de avaliar as experiênciasQue trouxeram à minha existênciaMomentos de dor e alegria..Escorregam...

(imagem gordon johnson – pl) .Por Eduardo de Paula Barreto. As máscaras dos hipócritas Tornaram-se transparentes E as candidaturas mitológicas Mostraram-se incompetentes Para lidar com a realidade De um País que na verdade Precisa...

(foto: glady – pl) .Por Eduardo de Paula Barreto. A lagarta conservadora Rejeitou a chegada do futuro E por causa de tal escolha Morreu seca no casulo Enquanto o girino progressista Aceitando as nuanças da vida Dirigiu-se para fora do...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Chega, é hora do bastaRendam-se servos do malQue ao invés de doces balasDistribuem balas de metalQue voam a esmoNos lugares ermosCruzando distânciasInsípidas balas perdidasQue abreviam a vidaDe inocentes...

(imagem gerd altmann – pl) .Por Eduardo de Paula Barreto. O Brasil em agonia Vê-se caído ao chão Com pouca democracia Inflando seu pulmão E em suas veias tensas A liberdade de imprensa Enfrenta bactérias de censura Que acirram os...

(foto marcelo casal jr – ag brasil) .Por Eduardo de Paula Barreto. Surgiram das pelancas muito flácidas De um corpo exótico claro e aviltante, No rol da imoralidade, vários súditos, Com o véu da falácia dos governantes. . E no horror...

(imagem: mohamed hassan + cor arte – pl) .Por Eduardo de Paula Barreto. Era uma vez um juiz Que como o ditado diz Era feliz e não sabia Ele arbitrava em Curitiba Como a figura mais temida Prendendo quem bem queria. . Certa vez o vírus...