roteiroSe você um dia sonha em fazer um giro pela Europa com um custo muito baixo, com preços parecidos com os preços do Brasil, então você deve acompanhar esse roteiro.

Quando falamos baixo custo, é baixo custo mesmo. Isso significa um custo em torno de R$ 200,00 por dia por pessoa. Parece muito? Isso inclui o transporte entre as cidades (avião ou trens), hospedagem (hoteis), alimentação (restaurantes e lanchonetes) e alguns passeios em museus, castelos, uma prainha se não tiver frio etc. Nosso roteiro ficou nessa faixa de preço, mas é possível fazer viagem até mais econômica se usar mais avião e menos trens, que na Europa são de alta velocidade.

As companhias aéreas de baixo custo da Europa têm preços realmente baixos. Além disso, você economiza tempo e muitas vezes alimentação em viagens longas e demoradas. Nós planejamos um misto com avião e trem, sendo a maioria por meio de trem.

Além disso, partimos de uns requisitos básicos porque fomos em duas pessoas. Então, um dos requisitos mínimos é sempre alugar um quarto com suite, ou seja, que não tenha banheiro compartilhado.  O wc compartilhado é muito comum na Europa, esses locais são chamados de Hostel (diferente de Hotel). Não é porque tem wc compartilhado que é ruim. Alguns hostels são lugares caros e elegantes. Mas normalmente são os lugares mais baratos para ficar.

Ficamos em vários hostels, mas aqueles que ofereciam quartos com wc privativo. Isso já encarece um pouco a viagem.

Você vai acompanhar nossa viagem em um roteiro tradicional. São 18 cidades em 9 países, passando pela Itália, França, Grécia, Hungria, Áustria, Thecolosváquia, Espanha, Portugal e outros. Uma ferramenta fundamental nessas viagens é o Google maps off line (sem internet). Mesmo se estiver com um celular do Brasil de uma operadora que não funciona na Europa, como a Tim, por exemplo, você pode usar o Google maps off line. Basta acessar uma wifi, por exemplo, no hotel e baixar o mapa da cidade off line. Depois o GPS te localiza em qualquer lugar da cidade, mesmo sem acesso a internet. E você planeja melhor os passeios pelas cidades.

A primeira dica é o planejamento e a compra do roteiro no próprio Brasil. Com um cartão de crédito internacional, você facilmente aluga hotéis e compra passagem de trem ou avião. É melhor comprar tudo a partir do Brasil e deixar tudo programado.

Alugamos os hotéis principalmente pelo Hoteis.com e alguns pelo Booking. Mas também usamos o tripAdviser quando estava mais difícil para encontrar. Procuramos também conciliar o preço com a avaliação do hotel pelos hóspedes, tentando evitar os que tinham avaliação muito baixa. E também nos cadastramos no site da Airbnb, que oferece quartos e apartamentos para locação. É uma boa opção para evitar hotéis xexelentos, com nos alertou um blog quando estávamos procurando locais para ficar. O AirBnb é bem organizado.

Para o transporte, compramos diretamente nas próprias companhias aéreas e nas empresas ferroviárias da Europa. Por exemplo, descobrimos que a SNFC da França é eurocêntrica e muito sacana com quem não pertence à União Europeia. Fora isso, foi a pior empresa de trem que viajamos e a mais cara. Nossa viagem poderia ter sido mais barata sem a SNFC. Vocês vão ver o porquê nas postagens futuras.

Outras informações importantes que vamos passar são os passeios, os custos e dicas de locais. Mas não espere posts no estilo caderno de turismo, em que tudo é lindo e maravilhoso, aqui vamos tentar mostrar a Europa um pouco do jeito que ela é.

Nosso roteiro começa em Veneza, na Itália, mas com saída de Paris, na França. Chegamos em Veneza de avião, em um vôo de Paris. Valor da passagem foi de 37 Euros pela empresa espanhola Vueling de baixo custo (low cost). Claro, comprada com um mês de antecedência.

Então, vamos aos destinos:

  1. Veneza
  2. Florença
  3. Roma
  4. Atenas
  5. Budapeste
  6. Viena
  7. Praga
  8. Frankfurt
  9. Marselha
  10. Barcelona

Viajou? Cadastre-se no Carta Campinas e publique aqui um texto com as dicas da sua viagem.

(Por Tião Braskaville)