CartaCampinas
Tag Archives: Vida

No próximo dia 24, sexta-feira, às 20h, o Teatro de la Plaza apresenta o espetáculo “O Autômato” no Teatro do Sesc Campinas, um espetáculo de animação de objetos para o público adulto. (Foto: Berenice Farina) Um...

.Por Roberto Ravagnani. (imagem cocoparisiense pl) Minha pressa e ânsia em responder a esta pergunta poderia fazer com que eu escrevesse somente: Muita coisa boa. Mas como sei que seria altamente criticado por ter uma coluna com somente duas...

(foto avi acl cc) .Por Eduardo de Paula Barreto. O Sol brilha para os outros Os rios saciam outras sedes As árvores sombreiam outros corpos Os ventos refrescam outras peles E os pássaros canoros Oferecem lindos coros Para outros passarinhos A...

(foto bruno costa silva cc) .Por Eduardo de Paula Barreto. Deixe-os deitados nas redes No aconchego das ocas Sonhando com as verdes Folhas de mandioca Deixe-os correr pelados Com os pés enlameados Com o húmus da floresta Deixe-os...

(imagem pezibear cc) .Por Eduardo de Paula Barreto. São tantas as coisas belas Que bela deixam minha vida Vão-se as trancas da janela E por ela entram margaridas Que do quarto fazem jardim E eu parto para dentro de mim Vivendo sonhos perfumados Em...

(foto do acervo pessoal de Luís Fernando Praga) .Por Luís Fernando Praga. Neste dia 02/02 começa a circular este pitoresco “expresso”, que usa o pequeno, mas sempre maior que o 1, número 2, a fim de demonstrar as ambiguidades...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Sem cautela sugam a riqueza Que dorme latente no chão E formam podre represa Com os rejeitos da exploração Que como lago de lama Por liberdade reclama Até romper as barreiras E à destruição se entrega Ao...

.Por Luís Fernando Praga. Sem água eles morriam em 3 dias; e nada era mais vital que a água. Não tinham tempo de pensar poesias, de rir da vida ou de sofrer de mágoa. Cuidavam sempre de seus pés cansados de espinhos, do chão seco e de...

.Por Marcelo Sguassábia. – Maluca essa história da morte do coveiro, heim? – Nossa, nem fala. Sem querer o cara cavou a própria cova. Só de pensar eu fico arrepiado. O buraco já tinha mais de dois metros e meio quando ele teve o piripaque....

.Por Eduardo de Paula Barreto. Alguém me perguntou: – Onde você mora? Sem perda de tempo, respondi: Como poeta, vivo sentado na beirada de uma cratera de um planeta distante, de onde posso olhar para a Terra. É curioso ver as coisas lá...