1021910-24052016-vac_8015O ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, não foi pressionado só Geddel Vieira Lima para liberar uma obra ilegal em Salvador que altera o patrimônio histórico da capital da Bahia.  O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero disse em depoimento à Polícia Federal que o presidente da República, Michel Temer, o “enquadrou” no intuito de encontrar uma “saída” para a obra de interesse do ministro Geddel Vieira Lima (Governo). As informações são dos jornalistas Paulo Gama e Natuza Nery, da Folha de S.Paulo.

Trecho do depoimento:

“Que na quinta, 17, o depoente foi convocado pelo presidente Michel Temer a comparecer no Palácio do Planalto; que nesta reunião o presidente disse ao depoente que a decisão do Iphan havia criado ‘dificuldades operacionais’ em seu gabinete, posto que o ministro Geddel encontrava-se bastante irritado; que então o presidente disse ao depoente para que construísse uma saída para que o processo fosse encaminhado à AGU [Advocacia-Geral da União], porque a ministra Grace Mendonça teria uma solução (…) Que, no final da conversa, o presidente disse ao depoente ‘que a política tinha dessas coisas, esse tipo de pressão'”.