Os moradores do San Conrado, loteamento que fica no distrito de Sousas, em Campinas, entraram nesta terça-feira, 28, no Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) para paralisar uma obra da Sanasa que está devastando uma área de proteção ambiental permanente, que fica contorna o loteamento.

(imagem: foto de vídeo)

Na terça-feira, 28, máquinas destruíram uma faixa da área ambiental sem avisar ou consultar os moradores da região. Segundo eles, também não houve um programa de manejo de animais e vegetação nativa. As obras estão sendo feitas para implantar um sistema de esgoto da Sanasa em área de preservação ambiental permanente.

Além de acionar o MP-SP, os moradores tiveram uma reunião com representantes da Sanasa e com a presidente da Congeapa, Claudia Maria Gusmão. Os representantes da Sanasa tentaram explicar o projeto para os moradores e insistiam que não é possível mudar o trajeto da rede. Veja no link abaixo.

Afirmaram também que há licença da Cetesb. “Apesar de a licença da Cetesb ser genérica, há alguns requisitos ali e nós perguntamos se eles tinham cumprido. Por exemplo, um plano de retirada dos animais”, afirmou o morador Paulo Gil Holck, que participou da reunião. A resposta dos representantes da Sanasa foi de que a mata derrubada, na verdade, “não era mata”, que havia uma previsão de rua. Para os moradores, a resposta foi uma confissão de que não fizeram o que foi pedido na licença.

Nesta mesma terça-feira, o prefeito de Belo Horizonte, criticou o empresariado que atacou o Plano Diretor da capital mineira, que previa maior proteção ambiental contra inundações. Agora, a população está sofrendo as consequências. Belo Horizonte é uma cidade com população um pouco maior do que Campinas. Veja o vídeo do prefeito de BH e um vídeo incrível sobre a inundação:

https://twitter.com/hudsonbonatto/status/1222556803197784064