No sábado, 29 de setembro, milhares de mulheres irão às ruas protestar contra o presidenciável de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSL).

A organização dos protestos ganhou força com o grupo no Facebook “Mulheres unidas contra Bolsonaro”, que em uma semana reuniu cerca de 2 milhões de mulheres críticas ao militar reformado de ultradireita.

Em Campinas, a manifestação está marcada para às 17h no Largo do Rosário, centro da cidade.

O grupo”Mulheres Unidas contra Bolsonaro’ acabou saindo do ar, após ter sido invadido com a imagem de capa trocada para o teor a favor de Bolsonaro e suas moderadoras sofrerem ameaças.

A rejeição de mulheres a Bolsonaro chega a 49% do eleitorado feminino, segundo pesquisa do Datafolha do dia 10/9. Ou seja, praticamente metade do eleitorado feminino (que corresponde a 53% do total do eleitorado brasileiro) não aceita votar nele de jeito nenhum.

O candidato já deu diversas manifestações machistas e misóginas. Ele disse à deputada Maria do Rosário que só não a estupraria porque ela “não merece”, o que lhe rendeu um processo. É dele, também, a seguinte frase: “Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher”.

Em uma entrevista ao jornal Zero Hora, em 2014, disse que não achava injusto uma mulher ganha menos do que o homem para a mesma função, pois mulher engravida e tem licença maternidade.

Na imagem a seguir é possível ver os locais que já confirmaram atos. (Revista Forum/Carta Campinas)

OBS: No cartaz, a manifestação de Campinas aparece 19/9, mas deve ocorrer no mesmo dia 29/09