CartaCampinas
Tag Archives: poema

.Por Sandro Ari Andrade de Miranda. (detalhe de greve, de candido portinari) Na vida todos nós temos ofícios. Alguns nascem iluminados pela arte, pelo dom da sabedoria. Outros, por seu turno, constroem seu ofícios no exercício...

(foto les the las arrels roots raizes – pbl) .Por Eduardo de Paula Barreto. O solo brasileiro aceitaAs sementes que recebeNele uma planta cheiraNele outra planta fede Ele nutre as escolhasPara que se colhaDo plantio da cidadaniaA...

(foto freephotos – pl) .Por Eduardo de Paula Barreto. Um lobo está nos arredores Solto, matando os cordeiros Enquanto covardes caçadores Fingem não percebê-lo Assim se tornam coniventes Com aquelas garras e dentes Que com sangue...

No próximo dia 21 de agosto, sexta, às 20h, Consuelo de Paula e João Arruda – cantores, compositores e instrumentistas – lançam Beira de Folha, trabalho musical cujas canções nasceram de uma troca entre imagens e poemas....

(imagem twighlightzone – pl) .Por Tejota Santos. Quem um dia foi boia friaOperário e até ladrão Ladrão por necessidadePara matar a fome, comer o pão Olha só que estranhoHá juízes, homens das leis, deputados,Senadores...

Por Ingrid Vogl “Entre lírios e poemas, gotas de poesia na lama do dia a dia”. A frase poeticamente realista e instigante, introduz cada um dos podcasts do Empoeme-se, que divulga e celebra a poesia da periferia. A série de podcasts...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Agem com soberba Se sentem superiores Discriminam a pobreza As diferenças e as cores Fazem das mãos Arminhas de ficção Que simulam tiros Mas não podem deter O imenso poder De um minúsculo vírus. . Ignoram...

(foto marcelo casal jr – ag brasil) .Por Eduardo de Paula Barreto. Surgiram das pelancas muito flácidas De um corpo exótico claro e aviltante, No rol da imoralidade, vários súditos, Com o véu da falácia dos governantes. . E no horror...

pinterest.com .Por Luís Fernando Praga. Nem mais um pio!Por ódio do canarinhoO pardal quer tudo pardoE se consome sozinho,Com tanto pardal do lado…Tentou proibir o gorjeio,Truculento, frio, fera!Mas sente muito receioDo voo e...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Sem cautela sugam a riqueza Que dorme latente no chão E formam podre represa Com os rejeitos da exploração Que como lago de lama Por liberdade reclama Até romper as barreiras E à destruição se entrega Ao...