Um devastador documentário, intitulado ‘Bolsonaro e Adélio, uma fakeada no coração do Brasil’ (TV 247), sobre a suposta facada que o candidato Jair Bolsonaro teria levado em Juiz de Fora durante a campanha presidencial de 2018 deixa evidente que houve um autoatentado. Ou seja, um atentado planejado por pessoas ligadas a Bolsonaro e com fortes indícios de que o próprio Bolsonaro tinha pleno conhecimento do plano executado por Adélio Bispo.

(foto de vídeo)

O caso é evidente, mas é necessário reabri-lo com uma investigação independente e transparente. As provas e indícios de que houve um auto atendado são inúmeras e avassaladoras. Por exemplo, a reação de praticamente todas as pessoas que foram envolvidas no caso. Todas fogem, desaparecem, não aceitam dar entrevista ou ficam com raiva. Esse fato é impressionante no conjunto, apesar de Joaquim Carvalho tratar isso individualmente. Fica evidente que houve uma trama que não pode ser revelada.

Não há ninguém diretamente envolvido disposto a esclarecer e falar abertamente sobre o caso! A quantidade de fatos nebulosos é estarrecedora. Por todos os lados que se olha, não há lógica na facada. A situação dos advogados do Adélio é alarmante, é praticamente um crime. O Facebook do Adélio traz provas incontestes de que ele foi alterado nas vésperas do provável autoatentado. Além disso, peças chaves e objetos da investigação sumiram.

O fato de ter ocorrido no dia 6 de setembro de 2018, véspera do Dia da Independência, ganha ainda mais proporção com as manifestações ocorridas no último dia 7. Há muita coincidência e ligações que não foram investigadas pela polícia.

É urgente reabrir a investigação. Vejam o documentário abaixo: