ONLINE – As elaborações sobre o teatro épico discutidas por Bertolt Brecht (1898 – 1956) no texto-manifesto Um Pequeno Organon para o Teatro (1948) foram o ponto de partida para a criação do espetáculo ÉPICO, da Cia Tercer Abstracto, que fará temporada online a partir do dia 15 de janeiro de 2021, sexta-feira, 19h, por Zoom. A direção é de David Atencio e, no elenco, estão Giovanna Monteiro, Giu Castro, Mateus Fávero, Marô Zamaro e Paulo Eduardo Rosa. A peça foi contemplada pelo edital ProAC Nº 01/2019 – Produção e Temporada de Espetáculos Inéditos de Teatro Primeiras Obras.

Os anos do calendário já haviam chegado ao número de 1348 quando uma peste mortífera atacou a Europa. Estamos em 2020, vivendo um épico momento em nível nacional e internacional que parece não ter saída. O ponto de partida de ÉPICO é Bertolt Brecht, que indica uma proposta didática e narrativa que transforma o teatro numa potente sala de aula. ÉPICO é uma peça on-line, um jogo de comparações que pretende proporcionar ferramentas de análise. Tratando as condições sociais como acontecimentos em processo, pretende suscitar, como escreveu Brecht, “pensamentos e sentimentos que desempenhem um papel na modificação do contexto”.

Com texto criado de forma conjunta pela companhia a partir das propostas do dramaturgo e poeta alemão, ÉPICO transporta questionamentos feitos por Brecht para o Brasil de 2020, que vive crises políticas, sanitárias e sociais profundas. O espetáculo explora as potencialidades da ferramenta online, incluindo seus recursos de transmissão de áudio e a exibição de vídeos pré-gravados.

“No início, todos estarão com as câmeras desligadas, mas os microfones ficarão abertos e convidaremos o público a ler conosco alguns textos da peça. A ideia é promover um coro de pessoas distantes que estejam vivenciando uma ideia de coletividade – a dificuldade da plataforma em equalizar os sons de todos os microfones será uma metáfora sobre a falta de comunicação e um estímulo para se pensar em formas de se organizar em conjunto”, conta o diretor David Atencio.

O segundo momento da peça está situado na Idade Média, aproximadamente em 1348, quando a peste bubônica assolava a Europa e dizimava a vida de milhões de pessoas. “Nesta parte há histórias narradas por uma voz em off e também recursos de teatro de sombras”, conta o diretor. O enredo acompanha as revoluções camponesas e o período de revolta que destituiu o feudalismo medieval.

A terceira parte, pré-gravada, está situada nos nossos tempos e acompanha Lucas e Aline, dois amigos que dividem um apartamento na cidade de São Paulo em meio ao crescimento da epidemia de coronavírus no Brasil. O diretor explica que os momentos de transição entre cada parte do espetáculo são bem acentuados e convidam o espectador a experimentar as potencialidades da ferramenta on-line.

“Em ÉPICO, estamos enxergando Brecht não apenas como autor, mas também como teórico – estudamos as cenas a partir de suas perguntas, então o texto também revela muito desse processo de criação e pesquisa”, finaliza David.

A peça faz parte do Manifestos, projeto que nasce com o interesse de investigar teórica e praticamente os principais Manifestos Teatrais que revolucionaram a cena no século XX. A primeira peça dessa iniciativa, chamada CONVENÇÃO, foi criada a partir do manifesto O Teatro da Convenção Consciente (1909), de Vsevolod Meyerhold. ÉPICO dá continuidade a esta pesquisa cênica.

A companhia, liderada pelo diretor chileno David Atencio e pelo ator brasileiro Mateus Fávero, surge no ano de 2012 com o objetivo de investigar e experimentar a partir das abstrações das artes visuais diversas estratégias cênicas para a elaboração de suas peças. A companhia fricciona transdisciplinarmente o campo das artes com as ciências, aproximando temas provenientes da física e das matemáticas de um público geral, com uma linguagem cênica contemporânea que estimula perceptivamente o espectador.

A companhia apresenta duas linhas de pesquisa: Projeto Manifestos, criada inteiramente no Brasil, e a Serie Abstracto, projeto de nove peças teatrais a partir do estudo de artistas fundamentais da arte abstrata.

A expressão teatral de uma sociedade em crise, proposta por Brecht, influenciou historicamente o teatro mundial e, especialmente, o teatro brasileiro. O modo com que o Teatro Épico lidou com a noção da modernidade na primeira parte do século XX oferece ferramentas para compreender, social e cenicamente, a situação política do país.”

Ficha técnica

Direção: David Atencio

Artistas convidados: Giovanna Monteiro, Giu Castro, Marô Zamaro e Paulo Eduardo Rosa

Acompanhamento Crítico-Pedagógico: Amanda Tavares Dias

Criação e Conceito de Cartelas – Unidade 1 – Vicente Antunes Ramos

Criação e conceito Teatro de Sombras – Unidade 2: Marô Zamaro

Direção de Fotografia – Unidade 3: Mateus Fávero

Manipulação de Teatro de Sombras: Mateus Fávero e Marô Zamaro

Iluminação: Matheus Brant

Música Original: Pablo Serey

Design Gráfico, Fotografia e Videomaker: Brendo Trolesi

Produção: Jota Rafaelli (MoviCena Produções)

Apoio Técnico – Operacional: Fellipe Oliveira e João Marcelino

Assessoria de Imprensa: Canal Aberto Assessoria

Realização: Cia Tercer Abstracto

ÉPICO

De 15 a 31 de janeiro de 2021 | Sextas, sábados e domingos, às 19h

Sessão extra: 25/1, segunda-feira, 19h (Aniversário de São Paulo)

* Nos dias 23 e 30 de janeiro, sábados, haverá bate-papo com a equipe após a sessão.

Acesso gratuito. Para reservar ingressos, basta enviar e-mail para epicoprojeto@gmail.com e aguardar orientações da produção.

Duração: 70 min. | Classificação: Livre

(Carta Campinas com informações de divulgação)