Em São Paulo – Pode ser vista até o dia 30 de janeiro de 2021, a exposição “FARSA. Língua, fratura, ficção: Brasil-Portugal”, no Sesc Pompeia.

Exposição FARSA no Sesc Pompeia (Foto: Divulgação)

Com curadoria de Marta Mestre e curadoria adjunta de Pollyana Quintella, ‘FARSA’ investiga as relações entre linguagem, arte, poesia, política, discriminação e questões de gênero em contextos coloniais por meio de trabalhos de mais de 50 artistas entre Brasil e Portugal, entre os quais Andrea Tonacci, Anna Bella Geiger, Anna Maria Maiolino, Grada Kilomba, Gretta Sarfaty, Lygia Pape, Movimento Feminino Pela Anistia no Brasil, Paulo Bruscky, Pietrina Checcacci, Regina Silveira, Regina Vater, Renata Lucas, entre outros. 

Ao cruzar a dimensão material do discurso, a desconstrução do logocentrismo, a dimensão vital e fabulação da vida, FARSA investiga desafios da língua e da linguagem.

Ao aproximar as propostas experimentais das décadas de 60/70 da produção de artistas que emergiram no século XXI, no Brasil e em Portugal, FARSA coloca ênfase no poder da linguagem, mas também nas estratégias de desconstrução da mesma em países que compartilham uma língua que foi simultaneamente fator de opressão e vetor de liberdade. Questiona a colonialidade e unidade linguística do português e o apagamento das línguas africanas e dos povos originários.

A entrada é gratuita. Agendamento de visitas e mais informações em sescsp.org.br/pompeia

(Carta Campinas com informações de divulgação)