CartaCampinas
Tag Archives: sociedade

.Por Luís Fernando Praga. Depois que passei a defender, com veemência, aquilo que meus princípios e valores exigem que eu defenda, muita gente, com outro tipo de princípios e valores, começou a me chamar de “FANÁTICO!”. Eu virei “petista/petralha...

.Por Luís Fernando Praga. Não são zumbis, espectros, demônios; não é um meteoro o nosso algoz; num fim dos tempos dos piores sonhos, quem já nos aniquila somos nós… A cada dia um golpe açoita o povo e uma injustiça empesteia...

.Por Luís Fernando Praga. Havia um tempo em que os sofrimentos Coexistiam com as alegrias E o riso das crianças pelos ventos Agasalhava de esperança os dias; Deixávamos nas cinzas do passado As lágrimas, o sangue e a amargura, A angústia...

.Por Luís Fernando Praga. Racionalmente, enquanto ser humano, não posso duvidar da humanidade de quem já desprezou metade dos seres humanos do Brasil, nem da humanidade de quem já demonstrou e demonstra ódio profundo por determinados seres...

  .Por Eduardo de Paula Barreto. A supressão de direitos E a limitação do saber Formam o mecanismo perfeito Para se exercer o poder Dos fortes sobre os fracos Que lambem os pratos E buscam no fundo das panelas Algum resto de comida Enquanto...

.Por Luís Fernando Praga. Ah, como a História é importante e reveladora! O que aconteceu, queiram ou não, não “desacontece” e fica registrado pra sempre, até que a mídia deturpe e a alienação apague… Lembro-me de não ter...

.Por Luís Fernando Praga. “É engraçado… É tudo farinha do mesmo saco, mas foi necessário um miserável, um menino que nasceu miserável e que passava fome quando o Sarney já era milionário e o Roberto Marinho já era dono...

.Por Luís Fernando Praga. Blindex, temperado, com fumê e 12 de espessura, De dentro, um vigilante pobre, escudo e escopeta. O vidro é pra não ver e proteger toda a estrutura. De fora é multidão, submissão e fome e treta. O ar condicionado,...

1º de Maio Unificado / Lula Livre (um relato de viagem) .Por Luís Fernando Praga. 29 de Abril de 2018, domingo, 10 horas da manhã. Era o meio de um feriado prolongado, que prometia ser de sofá e cinema, mas havia aquela comichão…...

.Por Luís Fernando Praga. Houve um tempo em que a escravidão era a lei, isto é, o escravo era obrigado por lei a trabalhar de graça. Se não trabalhasse apanhava, se fizesse errado era espancado, se a filhinha do patrão tivesse uma quedinha...