CartaCampinas
Tag Archives: poema

.Por Eduardo de Paula Barreto. Aqui estou eu neste domingo Deitado numa rede no meu quarto Olhando ao longe o mais lindo Céu azul que transforma em retrato O centro da imensa São Paulo Cujo ritmo mais calmo Me induz à reflexão Sobre o nosso...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Aprisionaram o homem Que tirou do mapa da fome O futuro da sociedade Mas Lula prefere a prisão Do que trocar a libertação Pela sua dignidade. . Sem culpa o condenaram E assim transformaram A Justiça em partido...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . As quatro estações do ano Não se adaptam aos panos Que habitam o meu armário Elas vêm implacavelmente E eu humildemente Adapto o meu vestuário. . Trata-se de um absurdo Esperar que o mundo Se adapte a...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Vivemos tempos estranhos Caminhamos rumo ao retrocesso A civilização aumenta em tamanho E igualmente aumenta o desapreço Pelas pessoas que são transformadas Em alvos para as mãos armadas Que restringem o direito à vida Os demônios são cavaleiros alados Que com os olhos vendados Cavalgam sobre balas perdidas. Imigrantes...

.Por Luís Fernando Praga. Havia um tempo em que os sofrimentos Coexistiam com as alegrias E o riso das crianças pelos ventos Agasalhava de esperança os dias; Deixávamos nas cinzas do passado As lágrimas, o sangue e a amargura, A angústia...

.Por Eduardo de Paula Barreto. Meu caro amigo pobre Confesse aqui no meu ouvido Que você apoiou o golpe Mas que está arrependido Porque perdeu o seu emprego E agora vive com medo De não conseguir a quantia Para comprar gasolina Como fazia...

  .Por Eduardo de Paula Barreto. A supressão de direitos E a limitação do saber Formam o mecanismo perfeito Para se exercer o poder Dos fortes sobre os fracos Que lambem os pratos E buscam no fundo das panelas Algum resto de comida Enquanto...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . Na boleia do caminhão Seguem acomodados Os sonhos de uma Nação Que são bloqueados Pelo Governo corrupto Ilegítimo e fajuto Que finge nobre postura Enquanto sacrifica A população que fica Na estrada da...

.Por Eduardo de Paula Barreto. . De quem serão as mãos Que com aparente decoro Colocam a toga da perseguição Sobre os ombros de Sérgio Moro? De onde vem a autoridade Que lhe permite arbitrariedades Sem medo de ser punido? Serão forças...

.Por Eduardo de Paula Barreto. .O sono que disfarça a fome Alimenta a fé estimulante De que basta que o Sol acorde Para surgirem novos horizontes Que curarão as feridas do peito E anularão os preconceitos Que tornam o carente abjeto Sensibilizando...