De 25/06 a 01/07 acontece a III Mostra Jazz Campinas, que movimenta a cidade com shows, DJs, mostra de curta-metragens e workshops. Serão 7 dias seguidos dedicados à música instrumental campineira, com 19 atividades ao todo: 13 apresentações musicais, 4 workshops, 4 DJ’s que tocam jazz com discos de vinil, alem de um dia de exibição de curtas-metragens sobre música – em parceria com a Mostra Curta Audiovisual.

Os shows em praças terão acesso gratuito e os shows em casas noturnas terão valores simbólicos (de R$ 8 e R$ 10), assim como os workshops, todos a preços muito acessíveis (R$ 10 e R$ 20). “Mesmo com tantas dificuldades de realização estamos conseguindo solidificar a Mostra, realizada de forma totalmente independente. Agora nesta edição podemos dizer que ela já se firmou como uma atração fixa, parte da agenda cultural de Campinas”, explica Arthur Amaral, da Zumbido Cultural, produtora que faz a organização e curadoria do evento.

Dentre as atrações deste ano é possível destacar o “Pepa D’Elia Trio”, na segunda-feira 26/06, projeto de um dos bateristas mais requisitados da cena musical atual (toca com nomes como Toquinho e Fábio Junior), o Ieda Cruz Quarteto, da terça-feira 27/06, projeto de Jazz da cantora campineira, além da Campinas Jazz Big Band (na quarta 28/06) e dos imperdíveis tributos a jazzistas como Miles Davis, Thelonious Monk e Charles Mingus.

Assim como os outros anos, a Mostra terá uma importante parte formativa. Este ano o evento contará com 4 workshops: Bateria (improvisação) com Elthon Dias, Guitarra (improvisação) com Marcelo Modesto, Lindy Hop (dança) com Lindy Rockers e Piano (improvisação) com Albano Sales. Abaixo mais informações e também na página da Mostra no Facebook. Inscrições abertas pelo email: mostrajazzcampinas@gmail.com.

A Mostra Jazz Campinas tem como objetivo reunir e apresentar em uma semana de programação grupos e projetos de curadoria musical da cidade de Campinas/SP, e que sejam voltados à música instrumental. Se mantendo como parte da agenda cultural da cidade, a Mostra acontece anualmente no final de junho, desde 2015, chegando neste ano a sua terceira edição. A Mostra é um evento realizado de maneira independente com produção da Zumbido Cultural e não conta com grandes patrocínios ou verba garantida, ou seja, para acontecer, todo o evento conta com parceiros e apoiadores. Sendo assim grande parte da programação ainda acontece em casas de show/bares com cobrança de entrada, e em espaços públicos sem cobrança de entrada.

Confira abaixo a programação completa dia-a-dia e todos os detalhes sobre a Mostra Jazz Campinas:

MOSTRA 2017 – PROGRAMAÇÃO COMPLETA

DOMINGO – 25/06 – 18H – Praça Durval Pattaro – ENTRADA FRANCA

MOSTRA CURTA AUDIOVISUAL
apresenta seleção especial de curtas sobre música.
Desde 2006, a Mostra Curta audiovisual realiza na cidade de Campinas – SP uma programação gratuita voltada à exibição de conteúdo e formação de público para filmes brasileiros no formato curta-metragem. Na sua comemoração de dez anos, a Mostra Curta Audiovisual revela-se um festival consolidado, importante no circuito cultural da cidade. Em sua trajetória, foram exibidos filmes de todo o Brasil e do Mercosul, somando mais de 100 horas de projeção e aproximadamente 700 filmes de curta-metragem foram apresentados em diversos espaços culturais da cidade de Campinas. Neste ano a Mostra Curta Audiovisual chega a sua 11°edição. No intuito de ampliar o encontro entre diferentes linguagens criamos no ano passado uma programação de intercâmbios com outras linguagens artísticas transformando e enriquecendo a experiência do espectador. Este ano temos previstas diversas ações da Mostra Curta Audiovisual realizadas com nossa rede de parceiros durante o ano, uma delas é a sessão na Mostra Jazz de Campinas. A articulação das diferentes linguagens artísticas atuantes no município fomenta a produção local, promove interação, cooperação e aprendizagem e a sinergia gerada fortalece as chances de sucesso e crescimento de iniciativas culturais independentes.

Para esta sessão com tema musical, especificamente o jazz, propomos sair da sala de cinema para ocupar uma praça pública acolhedora em Barão Geraldo a Praça do Coco. Serão exibidos 5 curtas-metragens do acervo da Mostra (filmes exibidos nas edições anteriores do evento), uma seleção especial pra quem curte uma boa música!

CURTAS:
1. “O homem que pintava músicas” – 15′
Jackson Abacatu | Documentário experimental | 2013
Qual será o som de uma mancha vermelha? E do amarelo com um pouquinho de cinza? Existe uma trilha sonora das montanhas, ou a música do mar?
Belo Horizote/MG
2. “Aracas” – 20′
Aleques Eiterer | Documentário | 2014
Aracy de Almeida, uma das maiores cantoras do Brasil e a jurada implacável dos programas de auditório. Entre essas duas marcas há muito mais.
faustogjr@yahoo.com.br
Rio de Janeiro, RJ
3. “Salu e o Cavalo Marinho” – 14′
Cecilia da Fonte | Animação |2014
O filme conta a história de Mestre Salustiano, um dos artistas populares mais famosos do Brasil. Filho do rabequeiro JoãoSalustiano, Salu logo cedo sonha em participar de um grupo de Cavalo Marinho, folguedo típico da região onde mora.
Recife/PE
4. “Jazz Manouche – Já que tá que fique” – 4′
Lokomotiv Studio | videoclipe | 2015
Campinas/SP

DOMINGO – 25/06 – 20H – CASA SÃO JORGE – ENTRADA R$10
Local: Av. Sta. Isabel, 655 (Barão Geraldo)

Apresentação musical: COMBO ARARUAMA
+ discotecagem em vinil com Dj Galletta
Por meio de instrumentações e arranjos influenciados pelas grandes big band’s americanas o Combo Araruama reapresenta clássicas canções da MPB, com uma textura sofisticada e dentro da linguagem instrumental, e também inova com as composições autorais. No repertório de canções da MPB o grupo conta com composições de Tom Jobim, Chico Buarque, Edu Lobo, Baden Powell, entre outros. O virtuosismo e expressionismo dos músicos do grupo permite que momentos de criação espontânea coletiva aconteçam nos arranjos. Além de integrar o Combo Araruama os músicos também participam de outros grandes grupos da cena instrumental atual, tais como: Trio Curupira, Orquestra Urbana, Vintena Brasileira, Noneto de Casa e Coletivo Orquestral.
Formado por: Adriano Martins (Contra-baixo), Bruno Pereira (Trombone), Dô de Carvalho (Sax-Tenor), Fábio Gouvea (Guitarra), Gustavo Villas Boas (Trompete), Heber Souza (Sax-Alto), Oscar Aldama (Piano), Rodrigo Marinônio (Bateria) e Tadeu Biaschi (Sax-Barítono).

SEGUNDA – 26/06 – 18H – MASTER GUITAR – INSCRIÇÃO R$20
Local: Av. Albino José Barbosa de Oliveira, 2270 (Barão Geraldo)
Workshop: Bateria (improvisação) com ELTHON DIAS
Inscrições em: mostrajazzcampinas@gmail.com
Elthon Dias, filho de músicos, tornou-se músico profissional aos 13 anos como percussionista, tocando em trios elétricos, shows e bailes. Aos 15 anos começou a tocar como baterista e acompanhou o cantor Amazan em sua primeira viagem profissional para fora do país. Foi um dos fundadores da banda Conexão Baixada que gravou seu primeiro disco com participações de Chorão, CBJr, Rapin Hood, Black Alien, Aliado Rossi e Seu Jorge. Participou do 1o. Festival da Odery Drums (2007). Já nesta fase, começa a tocar nas gigs de Jazz da cena local ao lado de Marcelo Modesto, Felipe Silveira, Fernando Baeta, Nenê Silva, entre outros. Hoje atua em várias áreas musicais como professor e músico nas bandas: Black Dog Funk (Funk e Jazz), Gangster (rock nacional), Ieda Cruz e Nêga Madame (black music), Jezztroy Trio (rock psicodélico). Também na música instrumental é atualmente baterista do baixista revelação Michael Pipoquinha, e também divide o palco com Celso Pixinga, Arthur Maia, Sérgio Groove, entre outros.

SEGUNDA – 26/06 – 20H – BATTATARIA SUIÇA (BARÃO GERALDO) – ENTRADA R$8 | Local: Av. Albino José Barbosa de Oliveira, 2298 (Barão Gerlado)
Apresentação musical: PEPA D’ELIA TRIO
Um dos bateristas mais notórios e requisitados do país é natural de Campinas, Pepa D’Elia iniciou seus estudos de música aos oito anos com o piano, passando mais tarde à bateria. Formado em Música Popular pela Unicamp em 92. Como membro da Orquestra Arte Viva – dirigida pelo mastro Amílson Godoy – participou dos vários espetáculos, tendo se apresentado ao lado de vários artistas. Integrando a banda de Toquinho desde 96, realizou várias turnês nacionais e internacionais com o artista- em espetáculos solo ou com outros convidados. É intensa sua colaboração com o violonista, compositor e arranjador Ulisses Rocha. Tocando com ele desde 99, realizou vários shows, gravou o s CDs “Álbum”, “Acoustic Lounge Cafe” e “Fractal” e participa de várias produções do artista. Em 2005 lança o CD entitulado “Trio”,em parceria com Silvia Goes e Ivâni Sabino. Em 2006, com o mesmo grupo, lança o CD “A Vida Tem Sempre Razão”.Além dos nomes já citados, já tocou e/ou gravou com: Nelson Ayres, Raul de Souza, Vânia Bastos, Bocato, Keco Brandão, Chitãozinho & Xororó, Jane Duboc, Fábio Jr., Orquestra Heartbreakers, Banda Urbana, Conrad Herwig, Sizão Machado, Banda Mantiqueira, Miúcha, Márcio Montarroyos, Ângela Maria, Cláudio Nucci, Orchestra Payssandu, Marco Pereira, Sá, Rodrix & Guarabyra, Virgínia Rosa, Banda Urbana, Zerró Santos Big Band Project e Jay Vaquer.
Formado por: Pepa D’Elia (bateria), Zé Alexandre Carvalho (baixo) e o João Vitor Bueno (piano).

SEGUNDA – 26/06 – 20H – EM FRENTE A BATTATARIA SUIÇA (BARÃO GERALDO) – ENTRADA FRANCA
Local: Av. Albino José Barbosa de Oliveira, 2298 (Barão Gerlado)
Apresentação musical: TR3BRUTO JAZZ
De volta ao Brasil no final de 2014, após uma turnê de 6 anos pelo mundo afora que passou por Caribe, África, Europa Ocidental e Oriental, o pianista Cleberson Abade resolveu dar forma ao sonho que trouxe na mala, de fazer musica sem regras. Seguindo apenas as batidas do coração e deixando os instrumentos soarem em sua afinação de uma forma livre.
Assim nasce o Tr3bruto Jazz, que tem a proposta de fazer uma grande fusão de ritmos e linguagens do jazz contemporâneo , com tempero latino, funk, soul, reggae, samba, mas, sem abrir mão do clássico. Nesta empreitada musical, juntam-se ao musico, o baixista Daniel Fernandes e Leonardo Santos na bateria. O trio já se apresentou em diversos locais de Campinas e região como no Teatro Centro de Convivência de Campinas (Projeto Canja Instrumental), Casa de Cultura Tainã, Oca Bar, GNU Lab Bar e Café, Jhon Gow Pub ( Projeto Juca Jazz ) em Americana. Cleberson Abade também esteve representando o trio em Agosto/16 na 51a edição do Festival Heineken Jazzaldía em San Sebastian – Espanha. O trio tem repertório variado que traz composições próprias e de grandes nomes da musica como Hermeto Paschoal, Herbie Hancock, Tom Jobim, Milton Nascimento, Dizzy Gillespie, Beethoven, Chick Corea, Noriel Vilela, Tania Maria entre outros. É instrumental, é jazz. é bruto, isto é TR3BUTO JAZZ.
Formado por: Cleberson Abade (piano), Italo Cardoso (baixo) e Ricardo Oliveira (bateria).

TERÇA-FEIRA – 27/06

TERÇA-FEIRA – 27/06 – 19H – ECHOS STUDIO BAR – INSCRIÇÃO: R$20
Local: R. Agostinho Pattaro, 54 (Barão Geraldo)
Workshop: Guitarra (improvisação) com MARCELO MODESTO
Inscrições em: mostrajazzcampinas@gmail.com
Multi-instrumentista, arranjador, professor.
Músico desde 1992, formado no curso de música popular e jazz no Conservatório Dr. Carlos Campos em Tatuí – SP. Em 1996 ganhou o prêmio de melhor instrumentista no Festival de MúsicaPopular (FEMP), em São José do Rio Pardo – SP. No mesmo ano concluiu o curso de arranjo com o Prof. Adail Fernandes. Dedicou sua carreira e seus estudos a improvisação, na qual a criação de solos e arranjos o renderam participações em mais de trinta CD´s independentes. Atualmente é endorsee das marcas Warm Music, Fox Guitars, Elixir Strings e Cabos Santo Angelo. Já trabalhou ao lado de grandes músicos como: Sisão Machado, Jarbas Barbosa, Pepa Délia, Gilberto de Syllos, Giba Favery, Cristiano Rocha, Gericó, Roberto Menescal, entre outros. Desenvolveu um trabalho de pesquisa sobre estilos antecessores do jazz como: cajun, blue grass, rag time e dixeland, onde se apresenta tocando banjo. Recentemente gravou o CD Matisse com o Hot Jazz Club, produzido por Zuza Homem de Mello, contando com a participação especial de Roberto Menescal. Atualmente é guitarrista da dupla Chitãozinho e Xororó, fazendo shows por todo Brasil e exterior.

TERÇA – 27/06 – 21H – ECHOS STUDIO BAR – ENTRADA R$10
Local: R. Agostinho Pattaro, 54 (Barão Gerlado)
Apresentação musical: IEDA CRUZ QUARTETO
+ discotecagem em vinil com DJ Digão
Ieda Cruz apresenta seu novo show dedicado ao jazz-suingue com um sotaque francês da vaudeville, onde a voz faz parte do grupo como mais um instrumento, somando à poesia das canções a interação improvisacional própria ao estilo. O repertório é composto por standars de jazz e samba-jazz conhecidos nas vozes de suas representantes antológicas como Billie Holliday, Anita ODay, Leny Andrade e Nina Simone e também por outras cantoras contemporâneas como Madelaine Peyrox, Zaz, Cirylle Aimée e Rosa Passos. Acompanhada por Marcelo Modesto tocando a guitarra francesa difundida mundialmente por Django Reinhardt, por Bruno Buzzo no baixo acústico e Osmário Marinho na bateria.
Ieda Cruz é cantora e compositora da cidade de Campinas/SP e lançou seu CD autoral Decote em 2011. Conhecida pela influência da black music em seu trabalho, cantou com sua banda Nega Madame ao lado da cantora Claudya, de Gerson King Combo e do violonista Marcel Powell. Atualmente cursa o último semestre em canto popular com especialização em composição e arranjo na faculdade Souza Lima-Berklee e desde então procura acrescentar aos seus projetos musicais aspectos próprios música instrumental com atenção principal voltada à improvisação vocal.

QUARTA-FEIRA – 28/06

QUARTA-FEIRA – 28/06 – 18H – PRAÇA DA PAZ – ENTRADA FRANCA
Local: UNICAMP (Barão Geraldo)
Apresentação musical: PEU ABRANTES
O contrabaixista e compositor Peu Abrantes apresenta um show enraizado em diversos ritmos brasileiros. Suas composições são fruto do diálogo entre os universos do jazz/ bossa-nova e das batucadas populares. O show “Verde” se coloca como um encontro de amigos para celebrar conversas musicais despretensiosas, expondo com naturalidade a riqueza que a música popular pode oferecer.
Formado por: Peu Abrantes (baixo elétrico), André Oliveira (bateria), Otis Selimane Remane (percussão), Marcos Bacon (piano), Henrique Heredia (trompete) e Thomaz Souza (saxofone).

QUARTA – 28/06 – 19H – PRAÇA DA PAZ – ENTRADA FRANCA
Local: UNICAMP (Barão Gerlado)
Apresentação musical: CAMPINAS JAZZ BIG BAND
Campinas Jazz Big Band é uma reunião de músicos experientes do cenário musical de Campinas e São Paulo, interessados na sonoridade e na estética das big bands. O grupo explora arranjos mais recentes e também clássicos do jazz e da música brasileira. Tem como objetivo a divulgação da música instrumental, realizando releituras de compositores e arranjadores consagrados, bem como da atualidade. Tem como referência os arranjos e composições de Sammy Nestico, Thad Jones, Maria Schneider, Count Basie, Gordon Goodwin, Don Sebesky, Bob Mintzer, Michel Camilo, Duke Ellington, bem como os compositores brasileiros como Moacir Santos, entre outros.

Formado por: Bruno Cabral (sax alto), Vinicius Corilow (sax tenor), Tadeu Bisachi (sax barítono), Bruce Willian e Islan Santos (trompetes), Felipe Coelho e Edmilson (trombones), Rafael Thomaz (guitarra), Lucas Bohn (piano), Andrés Zúñiga (baixo), Osmário Marinho (bateria) e Alegando Reiner (percussão).

QUARTA – 28/06 – 21H – BAR DO ZÉ – ENTRADA R$10
Local: Av. Albino José Barbosa de Oliveira, 1325 (Barão Geraldo)
Apresentação musical: VINICIUS CORILOW QUINTETO interpreta MonkMilesMings + discotecagem com Riva
O saxofonista campineiro Vinicius Corilow reúne um grupo de grandes nomes do jazz paulista para fazer um tributo a três dos maiores nomes do Jazz – Charles Mingus, Thelonious Monk e Miles Davis. Juntamente com Marcelo Rocha no trompete, Felipe Silveira no piano, Marcos Souza no contrabaixo e Paulinho Vicente na Bateira, o saxofonista apresentará um repertório que se concentra em composições gravadas na década de 50 e 60, época de ouro do jazz, quando MIngus, Monk e Miles ganham destaque no cenário musical norte-americano, gravando álbuns emblemáticos e revelando sonoridades únicas, tais quais as suas personalidades idiossincráticas e explosivas.
Vinicius Corilow é formado na Unicamp, tendo trabalhado com diversos grupos em gravações, shows, turnês e festivais, com destaque para o quarteto de saxofones “Sax Bem Temperado”, já com dois álbuns gravados e turnês realizadas no Brasil e nos EUA . Já atuou ao lado de músicos reconhecidos como Airto Moreira, o baterista Nenê, Rafael dos Santos, Celso de Almeida, Fawzi Berger (FRA), entre outros. Também se apresentou junto a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, ao lado de Toquinho, Lenine e outros artistas de destaque, além de ter participado do 4º álbum da orquestra, “Concertos Cariocas” lançado em 2016.

QUINTA-FEIRA – 29/06

QUINTA – 29/06 – 19H – LADO B BAR – ENTRADA R$10 (vale para o show)
Local: Av. Albino José Barbosa de Oliveira, 1240 (Barão Geraldo)
Workshop: Lindy Hop (dança) com LINDY ROCKERS
Inscrições em: mostrajazzcampinas@gmail.com

O Lindy Hop originou-se no Harlem em Nova York, no final dos anos 20. É dançado ao som de Swing Jazz das “Big Bands”, como Glenn Miller, Count Basie, entre outros. Muito divertido e contagiante, o Lindy pode ser dançado a dois ou solo, como o “Charleston”. O “Lindy Rockers” é um grupo independente dedicado ao estilo de dança.
A década de 20, conhecida como era do jazz, é também berço do Lindy Hop – dança afro-americana que teve origem no Harlem. Dançada principalmente ao som do swing jazz (estilo musical associado às famosas “big bands” – formações orquestrais de músicos como Glenn Miller, Benny Goodman, Count Basie entre outros) o Lindy teve como “casa” o salão Savoy, pioneiro ao promover bailes que permitiam interação entre negros e brancos – contrapondo a segregação racial comum na época. Com seu estilo saltitante e absolutamente divertido, o Lindy Hop se tornou febre nos EUA, Europa e em outras partes do mundo.
Com o início da 2ª guerra mundial a contratação das big bands tornaram-se caras, e as mesmas perderam prestígio. O swing jazz perdeu o status de música favorita da cultura popular norte-americana, ao passo que versões mais compactas de bandas (como quartetos e trios) sofisticavam seus arranjos, incluindo virtuosidade instrumental e improviso. Em outras palavras, o jazz deixou de ser “para dançar” e passou a ser “para se ouvir”. Desse modo, o Lindy Hop perdeu sua popularidade.
Na década de 80 o Lindy voltou aos holofotes mundiais ao ser redescoberto por dançarinos dos EUA, Suécia e Europa. Atualmente o Lindy é dançado no mundo inteiro, com eventos que chegam a ter participação de até milhares de pessoas. Ainda é caracterizado como um estilo contagiante e divertido, marcado pelo improviso. Pode ser dançado a dois, sozinho ou em jams (grupos de rodas coletivas), em músicas lentas ou rápidas – ou seja, há Lindy Hop para todos os gostos!

QUINTA – 29/06 – 21H – LADO B BAR – ENTRADA R$10
Local: Av. Albino José Barbosa de Oliveira, 1240 (Barão Geraldo)
Apresentação musical: CABARETO EARLY JAZZ BAND
O projeto Cabareto Early Jazz Band é formado por onze alunos da graduação em música da Unicamp que atuam em diversas áreas do departamento localizado no Instituto de Artes. Por iniciativa do jovem músico Luca Alves, arranjador, diretor e guitarrista do grupo, em 2016 o projeto integrou as práticas de conjunto oferecidas pelo professor Mário Campos, com o comprometimento de pesquisa tanto da estética quanto o contexto histórico-cultural do Jazz Tradicional e do Swing, que compreende as décadas de 20 a 50 nos Estados Unidos. Atualmente o grupo apresenta um extenso repertório jazzístico com muita energia, improvisos quentes e linguagem incorporada das famosas Big Bands, homenageando essa vertente musical que marca a música popular global!
Formado por: Luca Alves (direção e guitarra), Daniel Moreira (contrabaixo), Meiriele Fogari (Bateria), Felipe Ribeiro (piano), Islan Santos e Gabriela Fernanda (trompetes), Daniel Soares (trombone), Giovanni Della Guardia, Josué Varola Junior e Mateus Marques (saxofones) e Matheus Coelho (clarinete).

SEXTA-FEIRA – 30/06

SEXTA – 30/06 – 19H – ECHOS STUDIO BAR – INSCRIÇÃO: R$20 (vale para o show) | Local: R. Agostinho Pattaro, 54 (Barão Gerlado)
Workshop: Teclado (improvisação) com ALBANO SALES
Inscrições em: mostrajazzcampinas@gmail.com
Pianista, compositor e arranjador, Albano Sales teve formação de música erudita e popular, tendo em seu currículo apresentações ao lado de artistas internacionais e nacionais. Graduou-se em música pela UNICAMP, foi professor do CLAM (Zimbo Trio) e também da Universidade Livre de Música Tom Jobim – ULM, em São Paulo. Viveu por um breve tempo em Los Angeles, EUA, onde trabalhou com artistas como Airto Moreira e Flora Purim. No Brasil trabalhou com Eduardo Araújo e Silvinha Araújo; Vanderléa; Ronnie Von; Pery Ribeiro; Raul de Souza; Paulo Moura e outros. Se apresentou no espaço Notorious, em Buenos Aires, prestigiado clube de jazz da capital argentina. Em Los Angeles gravou o disco instrumental independente intitulado “Retrato Brasileiro” e em 2015 produziu seu novo álbum, Experimental, inteiramente autoral.

SEXTA – 30/06 – 19H – ECHOS STUDIO BAR – ENTRADA: R$10
Local: R. Agostinho Pattaro, 54 (Barão Gerlado)
Apresentação musical: COLETIVO IMAGINÁRIO – TRIBUTO A MILES DAVIS
+ discotecagem em vinil Dj México
O Coletivo Imaginário é composto por 9 jovens músicos que trazem para o grupo múltiplas influências musicais e culturais. A sonoridade que é pretendida pelo grupo desafia a qualificação de gêneros, uma vez que os músicos buscam um transito livre entre a música de concerto, a música brasileira e o jazz, ou seja, aqui cabe a música do mundo, a música universal. O grupo se dedica a construir um trabalho autoral e criativo com obras compostas pelos integrantes, na mesma medida, procura visitar obras de outros compositores, tornando-se também um grupo de performance histórica.
Formado por: Tiago Gomes (piano), Daniel Coelho (contra-baixo), Dhieego Andrade (bateria), Reynaldo Izeppi (trompete), Rafael Rossi Januário (sax alto), Pedro Vithor Almeida (sax barítono), Fabio Oliva (trombone), José Renato (tuba) e Victor Prado (trompa).

SÁBADO – 01/07 – 15H – PRAÇA DURVAL PATTARO – ENTRADA FRANCA
Local: R. Francisco de Barros Filho (Barão Gerlado)
Apresentação musical: QUARTERURÊ
Quarteto com foco em composições próprias e alguns arranjos diferentes de standards, com influência da música brasileira, do funk americano e um pouco do fusion, na onda do Eumir Deodato, Return To Forever, Stanley Clarke, Sandro Albert e afins…
Formado por: Lucas Carrasco (guitarra), Vitor Coelho (bateria), João Sartori (piano elétrico) e Gabriel Biel (baixo).

SÁBADO – 01/07

SÁBADO – 01/07 – 16H – PRAÇA DURVAL PATTARO – ENTRADA FRANCA
Local: R. Francisco de Barros Filho (Barão Gerlado)
Apresentação musical: ALESSANDRO PEREZ TRIO
Alessandro Perez Trio traz a 3ª Mostra de Jazz a performance de seu primeiro trabalho autoral, Abstract Painting. Gravado no final do ano passado, o trabalho se baseia em uma mescla do Jazz Conteporanêo com influencias do rock e progressivo, e músicas que se destacam pela energia do “power trio”, regadas a muita improvisação e faixas mais conceituais que se conectam numa narrativa composta por vários capitulos.
Formado por: Alessandro Perez (Guitarra) Theo Fraga (Contrabaixo Acustico) e Denis Miranda (Bateria).

SÁBADO – 01/07 – 17H – PRAÇA DURVAL PATTARO – ENTRADA FRANCA
Local: R. Francisco de Barros Filho (Barão Gerlado)
Apresentação musical: LUCAS BOHN QUINTETO

A história de Lucas Bohn como compositor é fundada na experimentação. Ainda pequeno ele via no aprendizado do repertório erudito um caminho para tornar seu o que outros compositores engendraram em suas criações. Através dessa relação mais aberta com o aprendizado, explorando as estruturas de um repertório normalmente tratado de maneira rígida, Lucas encontra na música popular brasileira e no jazz uma veia de expressão importante. Em 2014, Lucas teve a oportunidade de prosseguir com seus estudos na University of South Carolina onde pode desenvolver ainda mais seu vocabulário como compositor e pianista, sendo guiado pelo renomado professor Bert Ligon. Neste concerto ele traz parte das composições lançadas em seu primeiro álbum, bem como composições inéditas.

SÁBADO – 01/07 – 18H – PRAÇA DURVAL PATTARO – ENTRADA FRANCA
Local: R. Francisco de Barros Filho (Barão Gerlado)
Apresentação musical: TREM DOIDO – Especial Clube da Esquina
“Trem Doido – O Som das Minas Gerais” explora releituras de obras de consagrados compositores mineiros do “Clube da Esquina”, como Milton Nascimento, Toninho Horta e Nelson Ângelo. O grupo surgiu no curso de Música Popular da Unicamp, no contexto da disciplina de Prática Instrumental, e interpreta a música produzida em Minas Gerais, em arranjos originais para a formação de quarteto, com influência de jazz rock. Em sua formação inicial de trio – Eddy Andrade (violão), Murilo de Lima (contrabaixo) e Victor Polo (guitarra) – o grupo utilizava a linguagem instrumental, por meio de arranjos coletivos e abrindo espaço para o campo da improvisação jazzística. Desde 2014, com a entrada de Fernando Junqueira (bateria) e Paulo Ohana (voz), o Trem Doido é um quarteto que combina elementos de música vocal e instrumental em seus arranjos.